Biolab Pro
Bem-vindo ao Biolab Studio! Este é um portal de conhecimento médico-científico, desenvolvido pela Biolab Farmacêutica, com um rico acervo de materiais voltados para profissionais da saúde.
Você é nosso convidado para se cadastrar e acessar os conteúdos.
Menu

Laboratórios melhoram sua gestão operacional

Jornal Valor Econômico/SP | 01/07/2016
Um grupo formado por treze farmacêuticas instaladas no país elevou em 15%, em média, a produtividade em processos operacionais em 2015, a partir da adoção de um sistema inédito que permite a comparação de indicadores operacionais. Batizado BCO Farma e lançado por entidades setoriais, o novo sistema permite que as empresas farmacêuticas comparem seu desempenho em diferentes processos com o de suas pares, sem que dados estratégicos sejam revelados entre os concorrentes.

Para os executivos da indústria, a rentabilidade será determinada cada vez mais pela eficiência operacional, e não por expansão comercial, o que impõe desafio relevante para um setor cujos preços são controlados. Nesse ambiente, o sistema de indicadores deve atrair cada vez mais participantes.

“O setor está mudando e a crise no país torna isso latente: é cada vez mais desafiador manter margens”, afirma o superintendente de Estratégia Corporativa da Biolab, Jayme Lima. No laboratório, o uso do sistema, lançado no início do ano passado pelo Sindusfarma e pela Abiquifi, do setor farmoquímico, já trouxe melhorias operacionais.

O BCO foi desenvolvido por Fabio Bussinger, do Instituto Farma de Governança Operacional (IFGO), e trabalha com 23 indicadores de produtividade. “O BCO quer dar parâmetros independentes para que as empresas determinem de forma objetiva sua estratégia e melhorem a competitividade”, afirma.

A cada dois meses, explica Bussinger, o BCO emite um relatório com gráficos traçados a partir de informações transferidas por cada laboratório, que não é identificado nominalmente. Na curva, as empresas são capazes de identificar como estão em relação às demais. “A grande maioria das empresas não tem uma visão clara de suas ineficiências e do impacto financeiro disso”, afirma o especialista.

Além da Biolab, participam do projeto a farmacêuticas Abbott, Aché, Allergan, Biosintética, Cristália, Eurofarma, FQM, Guerbet, Hypermarcas, Kley Hertz, Momenta e Sandoz. Outras “quatro ou cinco” farmacêuticas devem aderir ao grupo em breve. “Ter mais empresas é questão de tempo”, diz o presidente-executivo do Sindusfarma, Nelson Mussolini. “Para sermos competitivos, precisamos de parâmetros de comparação.”
Ver na íntegra
arrow_backward Ver mais matérias
SAC 0800 724 6522
faleconosco@biolabfarma.com.br
Fique conectado